Programa de ressocialização usa trabalho de presos para melhorias em escolas

Escrito por em 28/04/2021

O programa de ressocialização Mãos Amigas, que utiliza a mão de obra de presos para pequenos serviços de manutenção e conservação de prédios escolares, atendeu 90 colégios de oito Núcleos Regionais de Educação no Paraná em 2020.

Atualmente, as escolas estaduais de Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Francisco Beltrão, Cruzeiro do Oeste, Cascavel, Maringá e dos municípios da Região Metropolitana são atendidas pelo programa.

O programa atende as recomendações sanitárias das autoridades de saúde ao realizar qualquer atividade em uma escola. É obrigatório o uso de máscaras, do álcool em gel e o afastamento social, que garantem a segurança dos envolvidos nos trabalhos.  

O Mãos Amigas é um programa da Fundepar, em parceria com o Departamento Penitenciário, da Secretaria da Segurança Pública e Paranaeducação. O programa atua como um instrumento de ressocialização e reintegração de presos em regime semiaberto (trabalham ou estudam fora, mas dormem na prisão).

O estado utiliza a mão de obra de presos, o que gera economia para os cofres públicos. E para o preso, cada dia trabalhado reduz o tempo no sistema prisional. Nos últimos três anos, o programa economizou mais de R$ 4,5 milhões.

Desde o início do programa, já aconteceram mais de 500 intervenções em prédios escolares e públicos.

O programa recebeu em 2019 o certificado selo de responsabilidade social pelo trabalho prisional. O prêmio é conferido pelo Departamento Penitenciário Nacional, vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. Mais de 600 detentos já passaram pelo programa e o índice de reincidência é zero.

Fonte: AEN


[There are no radio stations in the database]