Custo de vida do brasileiro volta a subir

Escrito por em 04/11/2020

O avanço, na última medição de outubro, do Índice de Preços ao Consumidor-Semanal, o IPC-S, da Fundação Getúlio Vargas, foi de 0,65 por cento.

Em todos os grupos de despesas houve aumento, inclusive vestuário e educação, setores bastante afetados no início da pandemia, com o fechamento do comércio e a suspensão das aulas, mas que começam a se recuperar, com a retomada aos poucos das atividades.

Porém, quando se analisa os itens que mais puxaram o custo de vida do brasileiro, fica claro que os alimentos ainda são o grande vilão, principalmente óleo, arroz e tomate, que ficaram entre 13 e 18 por cento mais caros.

É verdade que os preços do leite, da cebola e da manga, por exemplo, caíram.

Mas, ainda assim, os alimentos, no geral, subiram 1,69 por cento, mais que o dobro do IPC-S como um todo, que é a média do que ficou mais caro ou mais barato.

Fonte: Agência Rádio2


[There are no radio stations in the database]