Estado está entre os primeiros em número de presos que trabalham

Escrito por em 27/10/2020

O Departamento Penitenciário Nacional divulgou levantamento de informações penitenciárias com estatística do primeiro semestre de 2020.

Dentre os dados divulgados, estão as ações de reintegração e assistência social.

Conforme a plataforma de estatísticas, mesmo com a pandemia da Covid-19, o Paraná foi o terceiro colocado entre os estados com o maior número de presos trabalhando (7.785), depois apenas de Minas Gerais e Rio Grande do Sul.


Na questão de estudo, o Estado ficou com o 5º lugar, com 6.691 internos matriculados no ensino básico, cursos profissionalizantes, atividades complementares ou ainda em programas de remição pelo esporte ou leitura. São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco e Santa Catarina são os primeiros colocados.

O levantamento do Depen Nacional mostrou ainda que 1.404 detentos paranaenses, sendo1.289 homens e 115 mulheres, estudam e trabalham.

No caso dos presos que desempenham atividades laborais, além de receberem salário (ou pecúlio), experiência e profissionalização, reduzem um dia de pena a cada três dias trabalhados.

Já na questão do estudo, a remição se dá diferente: a cada 12 horas de atividades educacionais (obrigatoriamente dividida em três dias), o detento reduz um da pena.


Outra forma de reduzir a pena pelo estudo é através do programa de  remição pela leitura. O projeto prevê que o preso tem um prazo de 21 a 30 dias para a leitura de uma obra literária.

Passado esse período, ele deve apresentar uma resenha sobre o conteúdo lido, que será avaliada pelo professor.

Se a nota for maior que 6 pontos, o detento tem direito a reduzir quatro dias de pena.

Fonte: AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DO PARANÁ


[There are no radio stations in the database]