Estado elimina sífilis congênita em 134 localidades

Escrito por em 14/10/2020

O anúncio é da Divisão de Infecções Sexualmente Transmissíveis da Secretaria da Saúde, durante evento que marca do Dia Nacional de Combate à Sífilis, celebrado no terceiro sábado do mês de outubro.

A certificação foi lançada no evento do ano passado como forma de fortalecer a capacidade e qualidade dos serviços de saúde de pré-natal e na maternidade.

“Os gestores municipais responderam a este chamado e já temos 33% dos municípios paranaenses aptos para receberem o selo”, disse o secretário estadual da Saúde Beto Preto. “É uma grande conquista para a Saúde do estado, com agradecimento especial aos profissionais da Atenção Primária, que fazem o primeiro atendimento ao paciente no serviço de Saúde”, acrescentou.

Mas, de acordo com o secretário, o enfrentamento à sífilis deve ser constante e ampliado. “A meta é que a certificação seja atribuída aos 399 municípios, protegendo crianças e gestantes”, afirmou.

INDICADORES – A certificação da Sífilis Congênita no Paraná adota como requisito para os municípios a taxa de incidência de 1,5 caso a cada mil nascidos vivos nos últimos três anos; a proporção menor que 20% das crianças menores de 1 ano com sífilis congênita nos últimos 3 anos; e a proporção de 80% das gestantes com tratamento adequado para sífilis nos 2 últimos anos, entre outros.

A sífilis congênita é transmitida pela mãe ao bebê durante a gestação, via placentária.

Em 2019, a taxa de detecção de sífilis adquirida por 100 mil habitantes no Paraná foi de 92,13%. De sífilis em gestante foi de17,1%; e de sífilis congênita de 5,8%. Neste ano, até o momento, a taxa para sífilis adquirida por 100 mil habitantes é de 20,72%, de sífilis em gestante é de 6,7%; e de sífilis congênita 2,6%. Ou

Fonte: Agência de Noticias do Paraná


[There are no radio stations in the database]