Túnel sob Francisco Beltrão vai acabar com cheias históricas

Escrito por em 14/07/2020

Três explosões por dia em dois pontos distintos e trabalho ininterrupto de escavação são os únicos caminhos para abrir um túnel de mais de um quilômetro de distância e oito metros de altura dentro de Francisco Beltrão.

Ele ficará 62 metros abaixo do nível da via urbana e será responsável por auxiliar a escoar as águas do Córrego Urutago em direção ao Rio Marrecas, evitando as enchentes, que são parte da história do município e que já geraram perdas sociais e financeiras para os moradores. As obras começaram em dezembro do ano passado.

No Parque de Exposições Jayme Canet Júnior está localizado o emboque, onde o túnel já avançou 120 metros, e no bairro Padre Ulrico, à beira do Marrecas, está o desemboque, onde a escavação já alcançou 500 metros.

O investimento do governo do estado é de R$ 29 milhões. De acordo com o governador Ratinho Junior, essa é uma obra debatida há muitos anos dentro do município e que resolverá os problemas com as cheias dos rios que passam no perímetro urbano.

Segundo o prefeito Cleber Fontana, Francisco Beltrão perdeu muitos investimentos ao longo da história com problemas das enchentes. O túnel é a primeira fase da estratégia de contenção, que engloba investimento total de R$ 50 milhões.

Há, ainda, outras duas etapas: o aprofundamento e alargamento do Rio Marrecas no perímetro urbano, o que o deixará retilíneo e estável, somado a um projeto de um parque linear com ciclovias, calçada, iluminação pública e academias ao ar livre; e a construção de uma barragem com as rochas retiradas do túnel fora do perímetro urbano, a cerca de um quilômetro e meio do ponto em que o rio entra no município em direção à nascente, em Marmeleiro.

As obras completas do túnel atingiram 50% de conclusão no começo de julho. Elas têm data de conclusão para dezembro.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná


[There are no radio stations in the database]